Raios V - Engenharia, Assessoria & Consultoria

Dimensionamento prático da esfera rolante em superfícies planas

Por Raios V em 26/04/2021
Dimensionamento prático da esfera rolante em superfícies planas

A captação é o subsistema do SPDA responsável por garantir um local seguro para o acoplamento galvânico do raio. Segundo a NBR 5419-3:2015, é possível projetá-la através do método das malhas, esfera rolante e ângulo de proteção. É importante ressaltar que também é permitido realizar a combinação destes métodos e, desde que atendam aos pré-requisitos listados na tabela 3 da norma, componentes metálicos existentes podem ser aproveitados como captores naturais.

De modo geral, definir qual esquema de captação será utilizado depende bastante das características da estrutura, principalmente, quando existirem elementos acima da superfície de cobertura.

O método da esfera rolante consiste em simular o rolamento de uma esfera com raio pré-definido em função do nível de proteção do SPDA (Tabela 2 da parte 3 da NBR 5914), sobre a edificação. Todo local em que a esfera tocar é considerado um provável ponto de impacto do raio e, consequentemente, é onde deverá ser instalado um captor.

À medida que são adicionados captores, esta simulação deve ser realizada novamente até que a estrutura esteja totalmente protegida, assim como representado na Figura 1. É importante que em edificações com formas geométricas complexas ou com muitos elementos na superfície, o rolamento da esfera seja simulado em vários sentidos, de modo a adequar-se a todas as características existentes.

Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Aguarde..